Bárbara Eugenia

Top Tracks

  • Coração

    4:08
  • Perfeitamente Imperfeita

    3:53
  • Porque Brigamos (I Am… I Said)

    3:31
  • Bagunça

    4:04
  • Roupa Suja

    4:16
  • Bagunça

    4:04
  • Sintonia

    3:36
  • Perfeitamente Imperfeita

    3:53
  • Perdi

    4:36
  • Saudação

    1:44

Bio

Genres: Pop,Axé,Folk,Reggae
Location: São Paulo

 

Bárbara Eugenia é fluminense, mas mora em São Paulo desde 2005 e foi na paulicéia que iniciou sua carreira musical efetivamente. Mais de dez anos depois, entre shows nacionais e internacionais e diferentes projetos, em 2019 ela se prepara para o lançamento de seu quarto álbum autoral.

Seu primeiro trabalho veio por um convite feito pelo produtor musical Apollo 9 para participar da trilha sonora do filme “O cheiro do ralo” (do premiado cineasta Heitor Dahlia), em 2007. No ano seguinte, ao lado do músico Edgard Scandurra – e contando com as participações de Arnaldo Antunes, Juliana R, Marisa Orth, Chris Hidalgo, entre outros – iniciou o projeto “Les Provocateurs”, uma homenagem ao artista francês Serge Gainsbourg.

Na mesma época, Bárbara participou da turnê da banda “3namassa”, onde conheceu Junior Boca, responsável (juntamente com Dustan Gallas) pela produção de seu primeiro disco “Journal de Bad” (2010). O álbum inaugural conta com participações de músicos importantes como Edgard Scandurra, Tom Zé, Pupillo, Dengue, Karina Buhr e Guizado. Em “Journal da Bad”, Bárbara também recebeu faixas inéditas de Jam da Silva, Tatá Aeroplano e Junio Barreto, além de fazer versões de Fernando Catatau e Tom Zé.

Trilhando uma carreira que se consolidava, Bárbara foi convidada para fazer parte de grandes projetos, como o dvd Amigos Invisíveis de Edgard Scandurra; a coletânea Literalmente Loucas (Elas cantam Marina Lima); a música-tema do filme “Abismo Prateado” de Karim Ainouz; as participações nos eventos VMB, ao lado de Marina Lima, e Trip Transformadores, com Luiz Melodia e Wilson das Neves; a gravação do programa Som Brasil (Globo); as coletâneas “Re-trato”, disco-tributo ao Los Hermanos, e “Mulheres de Péricles”, disco-tributo a Péricles Cavalcanti; e também a segunda temporada do programa Cantoras do Brasil (Canal Brasil), homenageando Vinicius de Morares e o programa Clubversão da HBO (ainda inédito).

Em 2012, foi uma das ganhadoras do concurso do selo Oi Música, intitulado Festival MPTM (música para todo mundo), onde foi contemplada com a gravação de seu segundo disco e de um show de lançamento. Nasceu então “É o que temos” (2013), com produção de Clayton Martin (Cidadão Instigado) e Edgard Scandurra. O disco conta com participações como as de Pélico, Tatá Aeroplano e Mustache e os Apaches, e rendeu para Bárbara Eugenia o prêmio Multishow de Música Brasileira por versão do ano com a faixa “Porque Brigamos”, sucesso de Neil Diamond eternizado em português pela cantora Diana.

Em 2014, Bárbara se juntou a Chankas (guitarrista da banda instrumental paulistana Hurtmold) para criar “Aurora”. Este trabalho foi composto e produzido pela dupla e traz canções em inglês inspiradas em Beatles, Neil Young, country e folk dos anos 60.

2015 foi a vez de “Frou Frou”. Terceiro álbum solo da cantora, chegou ao mundo produzido pela própria e por seu parceiro de longa data Clayton Martin. Mantendo colaborabores fieis como Tatá Aeroplano, Peri Pane, Edgard Scandurra Regis Damasceno e Dustan Gallas, o disco contém 11 faixas, tendo uma inédita do Cidadão Instigado – “Recomeçar” – e uma versão de “Cama”, do Cérebro Eletrônico, além de uma parceria com Rafael Castro, outra com Peri Pane e arrudA e algumas criações conjuntas com sua banda.

Chegando em 2017, a artista se une ao sempre parceiro Tatá Aeroplano para a construção de um álbum em conjunto, autoral e delicado, ao lado de Dustan Gallas, Junior Boca, Bruno Buarque, Clayton Martin e Lenis Rino. Vida Ventureira conta a história de um casal pé na estrada viajando pelo mundo. Um filme cantado, tocado, imaginado, musicado. É a saga de dois sonhadores que saem numa viagem de autoconhecimento e libertação.

Bárabara Eugenia acaba de lançar seu quarto disco. Produzido pela própria, ao lado dos parceiros de longa data Dustan Gallas e Clayton Martin, TUDA sai um pouco do sessentismo que sempre permeou sua sonoridade, e Bárbara agora se aventura por um universo mais pop e eletrônico. O álbum também é marcado pela chegada de novas colaborações: Zeca Baleiro, Felipe Cordeiro e Cris Botarelli (Far from Alaska) são alguns nomes. Mais brasileiro porém mais internacional. Beats que te levam para a pista, canções que te levam pra Bahia, uma pista na Bahia. TUDA é uma celebração de todas as influências que Bárbara viveu nesses 10 anos de carreira. Um pouco de cada, vira TUDA.

 

______________________________________________________________________________

 

 

Barbara is a brazillian singer born in Rio, living in São Paulo, the big melting pot where everything happens and many artists gather up to make things happen. In more than 10 years she released 4 solo albuns and 2 side projects alongside important musicians from the independ- ent scene (Chankas, Tatá Aeroplano). Her latest album, TUDA, is a nat- ural convergence of all her past work, but now she moves between more modern times. TUDA is the title of Barbara Eugenia’s fourth solo album. The ritualistic first track opens the door to Perdi, bringing more the sense of what you can expect from hereon: lots of progra- mations, synths, electronic drums mixing modern electronic music, dis- co music of the 70’s and the technopop of the following decade. The album is produced by Bárbara alongside with Dustan Gallas and Clay- ton Martin (both from Cidadão Instigado, one of the most important alternative bands in Brazil), friends, musicians and collaborators from a long time.

 

0:00
0:00
NOTHING FOUND!
  • Play
  • Mute
  • Fullscreen